segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Desvios da Semsur pagariam iluminação de Natal por mais de 5 anos


Levantamento da reportagem junto à Semsur identificou que o parque de iluminação da cidade tem 54 mil pontos de luminárias. Por mês, quase cinco mil deles precisam ser trocados.
O serviço inclui, além disso, a troca ou substituição de cabos, a manutenção do reator e o braço da luminária. Tal manuntenção custa, hoje, R$ 350 mil por mês.
De acordo com a investigação do Ministério Público, de 2013 até este ano, as empresas que cuidam da iluminação pública da capital receberam R$ 73.433.486,86. A estimativa do MP é que 30%, ou R$ 22 milhões, foram desviados.
Os contratos alcançados pela ‘Operação Cidade Luz’ envolvem iluminação natalina e não apenas o parque energético de Natal.
Excluindo os custos para bancar a iluminação dos festejos de Natal, a relação entre R$ 22 milhões (valor que teria sido desviado) e R$ 350 mil (custo atual de manutenção) alcança 62 meses (5 anos e dois meses).
Contratos
Além do contrato de R$ 350 mil que a Semsur têm com a empresa Lançar, outro, de R$ 600 mil foi atingido pela ‘Operação Cidade Luz’.
De acordo com o diretor de Iluminação da Semsur, Kebler Dantas, a suspensão desse contrato maior é o que explica a cidade ter registrado pontos de apagões nos últimos dias.
“Como o contrato foi atingido pela investigação, não pudemos fazer a manutenção em alguns trechos do parque de iluminação, situação que está normalizando agora”, explicou.
A discrepância entre os valores dos contratos se dá, explicou Kebler, pela modalidade de contrato. O de R$ 350 mil foi concorrência pública nacional. A empresa vencedora, no entanto, já manifestou que não quer renová-lo por falta de lucratividade. O contrato é válido por quatro anos.
Já o dispositivo suspenso, de R$ 600 mil, estava em vigor através de renovações emergenciais, o que dificulta a concorrência e eleva o preço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário