terça-feira, 27 de junho de 2017

Entidades sindicais preparam nova parada geral para 30 de junho


Centrais sindicais e entidades sociais preparam uma nova parada geral em todo o país. A mobilização está agendada para o dia 30 de junho e será realizada em âmbito nacional, a exemplo da parada geral que ocorreu no último dia 28 de abril. Em Mossoró, vários sindicatos declararam apoio ao movimento e confirmaram a participação na mobilização. 
A parada geral reivindica a saída imediata do presidente Michel Temer (PMDB), investigado por corrupção, e a suspensão de suas reformas da Previdência e Trabalhista, que, segundo os sindicatos, retiram direitos dos trabalhadores. A representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Mossoró, Eliete Vieira, disse que é preciso pressionar o Governo para garantir os direitos dos trabalhadores. 
“São perdas graves que estão prestes a ser aprovadas e o povo precisa despertar e entender que só com a pressão popular é que podemos pressionar o Governo. Precisamos parar o país”, salientou.
No dia 20 de junho, centrais sindicais de todo o país realizaram um “esquenta”, com paralisação e atos nas principais cidades. Em Mossoró, a mobilização percorreu as ruas do Centro e seguiu até a unidade do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
Na ocasião, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDISERPUM), Marleide Cunha, declarou apoio ao movimento e falou sobre a importância de ir às ruas lutar pelos direitos dos trabalhadores. “Não podemos recuar da luta pelos nossos direitos e forçar o Governo a barrar essas reformas que só trazem malefícios ao povo brasileiro, principalmente à população mais pobre”, comentou a sindicalista.
Além do Sindiserpum, o movimento conta com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (SINTE-RN), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimento de Luta nos Bairros (MLB). O coordenador geral do Sinte RN, professor Rômulo Arnaud, destacou a importância do momento histórico e de retrocessos que vive o país.
“O governo ilegítimo de Temer, a serviço do grande capital, quer acabar com os direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras conquistados com muita luta, mas nós vamos intensificar as mobilizações de rua para barrar essa pauta nefasta para o conjunto da classe trabalhadora.”
A última greve geral, que ocorreu em 28 de abril, reuniu milhares de mossoroenses na Avenida Presidente Dutra, em uma passeata de protesto que seguiu até a Praça Rodolfo Fernandes, conhecida como Praça do Pax. A ideia dos organizadores da nova mobilização é repetir ou superar o número de participantes da mobilização ocorrida em abril. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário