sábado, 29 de abril de 2017

‘Xerife’ Maurílio Pinto cobra prisões seguras e combate mais vigoroso ao tráfico no RN


Reiterando as afirmações do recém-empossado delegado-geral da Polícia Civil, Correia Júnior, o ex-delegado e ex-subsecretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), “Xerife” Maurílio Pinto, aponta que de fato os altos índices de violência no Rio Grande do Norte deve-se a briga entre facções criminosas. Para combater isso, ele diz que se faz necessário um reforço nas prisões e um maior combate ao tráfico de drogas.
Para o Xerife, os altos números de violência em 2017 no RN são decorrentes da briga entre quadrilhas de crime organizado, que atuam principalmente no tráfico de drogas. “O que tem contribuído para o aumento da violência é exatamente as brigas entre os traficantes, que aumenta muito o número de homicídios”, afirma.
Segundo relatórios do Observatório da Violência Letal Intencional do RN (Obvio), o ano apresenta índices de quase 800 casos de homicídios, somente nesses quatro primeiros meses. O número é maior que 30% do registrado, no mesmo período, em 2016.
Em declarações à reportagem do Agora, o delegado-geral Correia Júnior diz está comandado operações com fins de combater as causas desses homicídios, que segundo ele a Polícia Civil avaliou ao menos 70% dos casos ligados ao crime organizado. O “Xerife” Maurilio Pinto também concordou com o posicionamento do delegado e aponta que essas operações devem ocorrer com mais vigor.
“Em primeiro lugar manter as prisões mais seguras, e também o combate que já está sendo feito, mas com mais vigor, ao tráfico de drogas”, diz Maurilio.
Além disso, ele também destaca a necessidade de contratação de mais policiais, pois essas operações contra o crime organizado são mais dificultadas com o pequeno número de efetivos. “É muito deficiente o efetivo, eles estão ‘se virando nos 30’, como se diz”.
Atualmente aposentado, Maurílio Pinto ainda continua sendo um ícone da segurança pública no Estado. O ex-delegado recebe visitas, pedidos de ajuda para solucionar casos, e pedidos de conselhos por oficiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário