sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

SINTE RN reage ao comunicado do Governo sobre hora-relógio e convoca a categoria para a luta

   SINTE DEBATEU O TEMA NA MANHÃ DE HOJE COM A ASSESSORIA JÚRÍDICA

O governo do estado através da secretaria da educação emitiu uma nota na manhã desta sexta-feira, 27, comunicando que está organizando o currículo do ano letivo de 2017 com 24 aulas de 50 minutos cada por semana para os professores do ensino fundamental, médio e EJA com base na composição de 20 horas-relógio

A medida traz sérios danos à educação uma vez que sobrecarrega os professores que ficarão sem tempo para atividades extraclasses, como planejar aulas, estudar, corrigir provas e outras ações necessárias.

A assessoria jurídica do SINTE RN desconstrói toda a argumentação utilizada pela decisão e considera ainda precipitada e extemporânea a medida uma vez que a palavra final está nas mãos do judiciário para julgar o mérito da questão. 
“Existem decisões contraditórias de juízes e instâncias sobre o mesmo tema na justiça do Rio Grande do Norte e o mais importante é que a última sentença é favorável aos professores”, afirma Dr. Carlos Gondim, assessor jurídico do sindicato.

“É claro que a secretária tem todo interesse de acabar com a hora atividade. Ela está lá, com uma visão totalmente mercadológica. Educação, para ela, é a mesma coisa que ir comprar um produto no supermercado”, diz o coordenador geral do SINTE, professor José Teixeira.

"Vamos deixar claro para o governo que os professores não vão cumprir a recomendação no que toca a mudança de hora-aula para hora relógio e dia 13 de fevereiro vamos discutir o indicativo de greve", ressalta o coordenador geral do SINTE, professor Rômulo Arnaud.

Nenhum comentário:

Postar um comentário