Páginas

domingo, 15 de janeiro de 2017

Rebelião em Alcaçuz termina, e governo conta os mortos

Policiais militares entraram às 6h10m deste domingo na penitenciária, em Nísia Floresta, para controlar a rebelião.
Após 14 horas de rebelião, pelo menos 10 homens mortos e pavilhões destruídos, a rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz e no Pavilhão Rogério Coutinho Madruga, na região metropolitana de Natal, chegou ao fim. 
O controle foi retomado após a entrada de homens dos batalhões especiais da Polícia Militar no início da manhã deste domingo (15). Não houve reação dos rebelados.
De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), a tática montada ao longo da madrugada deste domingo pelos representantes da Cúpula de Segurança Estadual, com representantes do Poder Judiciário e Ministério Público, sob a coordenação do governador Robinson Faria, foi considerada positiva. 
Com o controle dos pavilhões, os policiais passarão a contar os mortos, feridos e avaliar os prejuízos causados à estrutura física da penitenciária.
No entorno da penitenciária , a movimentação de familiares é intensa e se tornou mais angustiante. A expectativa é de que os corpos das vítimas comecem a ser recolhidos ainda nesta manhã. 
Segundo relatos de policiais militares, agentes penitenciários e de imagens divulgadas em redes sociais pelos detentos que participaram da rebelião, há homens decapitados. 
O Governo do Estado confirmou, através da Sesed, que será iniciado o processo de contagem dos corpos a partir das 08h (horário local). Acredita-se que a primeira parcial seja divulgada às 10h (horário local), durante uma coletiva de imprensa com representantes do Governo do Rio Grande do Norte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário