Páginas

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Protesto dos professores provoca Prefeitura cancelar abertura da Semana Pedagógica


Sindicalista Marleide Cunha, presidente do Sindiserpum, confirma protesto
A Prefeitura de Mossoró decidiu cancelar a abertura da Semana Pedagógica, que estava marcada para essa terça-feira (2), em virtude do protesto programado pelos professores da rede municipal de ensino. A categoria decidiu se manifestar contra o fatiamento do pagamento da folha salarial de janeiro.
Os professores usarão preto em concentração no Teatro Municipal Dix-huit Rosado, para mostrar que estão de luto. A pressão fez o Palácio da Resistência cancelar o evento que faz parte da abertura do ano letivo 2016.
Além do atraso salarial, os professores também protesto o atraso do 14º salário do ano de 2015, que deveria ter sido pago em março do ano. Como o prefeito Silveira Júnior (PSD) não apresentou proposta, nem prometeu pagar, a categoria teme que o 14º de 2016, que se vence no próximo mês, também não seja honrado.
Além do 14º salário, previsto na Lei de Responsabilidade Educação, a gestão municipal também não honrou com o Prêmio de Qualidade exercício 2015.
Mesmo a Prefeitura tendo cancelado a abertura da Semana Pedagógica, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum) decidiu manter o protesto.
"Sem argumentos e sem querer encarar o problema de frente, a Prefeitura de Mossoró, cancelou o evento de lançamento do ano letivo, marcado para a noite desta terça-feira (02), no Teatro Dix-huit Rosado, após tomar conhecimento de que os servidores públicos municipais iriam realizar um protesto contra o 'fatiamento' dos seus salários", trouxe material divulgado no site oficial do Sindicato.
Segundo o Sindserpum, a decisão foi veiculada minutos após a assembleia realizada na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum), na manhã desta segunda, onde ficou deliberada a decisão de que os profissionais iriam ao evento, mas que não entrariam no Teatro, permanecendo do lado de fora, vestidos de preto, como forma de demonstrar as suas insatisfações antes as últimas atitudes da PMM.
Apesar do cancelamento do evento, a presidente do Sindiserpum, Marleide Cunha, informa que o protesto será mantido. “Estaremos na porta do Teatro sim, protestaremos contra esta tentativa de divisão da classe trabalhadora e agora também por esta atitude, de não querer estar cara a cara com o servidor para discutir o problema”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário