Páginas

sábado, 30 de janeiro de 2016

Em Natal, Michel Temer fala sobre unificação para Brasil sair da crise


Michel Temer, defendeu que o PMDB lance candidatura própria à presidência da República nas eleições de 2018.
O vice-presidente da República, Michel Temer cumpriu nesta sexta-feira a sua agenda na capital potiguar. No Hotel Imirá, Temer se reuniu com dirigentes locais do PMDB, parlamentares e empresários. Ele também discursou para representantes da sociedade e populares e em seguida foi entrevistado pelos jornalistas.
Michel Temer explicou que está visitando todo o Brasil com a ‘caravana da unidade’, e ressaltou que o objetivo não é apenas unificar o pensamento PMDB, mas o país. “Nós transformamos essa caravana da unidade do partido em uma caravana da unidade do Brasil, porque nós precisamos sair dessa crise e temos que colaborar enquanto partido para essa unidade nacional”, disse.
TEMMER-INT-P
O peemedebista salientou que essa unificação independe da ajuda de outros partidos. “Quando nós falamos em ‘unificar o pensamento nacional’, nós estamos pensando exatamente na tentativa de evidentemente unificar em primeiro lugar os partidos políticos. Os partidos estão se conscientizando deste fato e é fundamental para o país que assim seja”, explicou.

Temer ressaltou que tem recebido apoio nos estados onde tem passado. Esse apoio é necessário para ele ser reconduzido à presidência do PMDB, na Convenção Nacional da legenda, marcada para março.  “vamos levar essa empreitada do PMDB até o dia 19 de março e acho que com sucesso”, falou.
Sobre o impeachment, o presidente do PMDB disse que “houve uma parada”. “Vamos ver agora a tomada dos trabalhos do Congresso Nacional. Nós temos que ter muita estabilidade no país e acho que a estabilidade exige essa unidade nacional que estamos falando. Acho que o Congresso Nacional tem essa responsabilidade em relação a isso e agora o Judiciário”, salientou.
Questionado sobre o que falta para o PMDB ser oposição ao governo, Temer declarou não faltar nada. “Não falta. Não há nem mais, nem menos, o PMDB é governo, está no governo. Nós somos governo, agora nós temos também a capacidade de pensar. Como nós temos a capacidade de pensar, nós lançamos documentos em beneficio do país”.
Em relação às eleições de 2018, Michel foi firme na resposta. “Nós enquanto partido político, nós temos o direito e o dever de lançar agora em 2018 uma candidatura própria à presidência da República. Ou seja, nós vamos colaborar com um governo durante todo tempo e mais pra frente vamos lançar um candidato próprio à presidência”, finalizou.
Créditos: nominuto.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário