Páginas

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Chuvas atingem todas as regiões do Estado e devem se estender até o fim de semana

De acordo com a Emparn, as precipitações pulverimétricas estão acontecendo com maior incidência nas regiões Central e do Auto Oeste potiguar.
As chuvas estão atingindo todas as regiões do Estado, de acordo com o meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn), Uelinton Pinheiro. O especialista revelou ainda que as precipitações em Natal atingiram a marca de 14,5mm na noite desta quarta-feira (14).
Nos outros municípios do Estado, ainda não se sabe o quanto choveu. “Estamos fechando os relatórios dos outras cidades”, disse o meteorologista. Embora não esteja com esses dados finalizados, o Uelinton afirmou que as chuvas atingiram todas as regiões do Rio Grande do Norte.
As precipitações que estão ocorrendo em Natal e no interior do Estado acontecem devido ao Vórtice Ciclônico de Altos Níveis [que ocasionado em uma área onde os ventos nos níveis mais altos da atmosfera giram no sentido horário, fazendo com que o ar seco desses níveis mais altos desça para superfície. Dessa forma, o VCAN funciona como uma massa de ar seco para as áreas que estão mais próximas ao seu centro. Já nas bordas deste sistema, ocorre formação denuvens.].
Apesar de não ter fechado os dados dos municípios do interior, o meteorologista revelou que a maior incidência de chuva está acontecendo nas regiões do Auto Oeste e Central do Estado.
Chuvas não provocaram pontos de alagamentos
Apesar das chuvas que estão caindo em Natal, o secretário de Segurança Pública e Defesa Social do município, Osório Jacomé, informou ao Nominuto.com que as precipitações não estão provando pontos de alagamentos na cidade.
“Graças a Deus está tudo sobre controle, as chuvas têm sido de pouca intensidade, mas, nós estamos com duas bombas que acompanham as viaturas da Defesa Civil”, comentou. Essas bombas, segundo ele, são responsáveis por sugar a água dos pontos de alagamento e despejá-las em locais mais apropriados, de fácil escoamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário