Páginas

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Brasileiro Wendell Lira ganha prêmio da Fifa pelo gol mais bonito de 2015


Pela quinta vez, o argentino Lionel Messi conquistou a Bola de Ouro da Fifa, que é o prêmio para o melhor jogador do mundo. Mas, para um brasileiro, essa segunda-feira (11) foi inesquecível. Wendell Lira, vencedor do Prêmio Puskas, de gol mais bonito de 2015.
Na maior premiação do futebol, um brasileiro fez o mundo se emocionar.
"Eu me emocionei, porque ele se emocionou, passou para gente a humildade dele, a vontade de poder ganhar um prêmio e a felicidade. Então, para a gente isso é muito importante", disse Marcelo, melhor lateral-esquerdo do mundo em 2015.
Os holofotes, os olhares estavam voltados para as superestrelas. As do Barcelona, por exemplo, treinaram pela manhã na Espanha antes de seguir para a Suíça. Para Neymar, o cochilo durante o voo foi providencial. Porque a rotina depois: atender torcedores, dar autógrafos, coletiva.
Os candidatos a Bola de Ouro também estavam na seleção mundial: além de Neymar, outros brasileiros: Tiago Silva, Daniel Alves e Marcelo.
Após a escolha da americana Carli Lloyd como melhor jogadora do mundo, chegou a vez dos homens. Messi que já era soberano com quatro troféus, ampliou sua conta.
“Privilégio entregar a Bola de Ouro para um jogador que está recebendo a quinta bola e não por acaso todas merecidas”, disse Kaká, melhor jogador do mundo em 2007.
Messi disse que quando subiu ao palco perdeu até a fala pela emoção.
No prêmio principal não houve surpresa. Messi foi eleito com mais de 40% dos votos. Cristiano Ronaldo foi o segundo, Neymar, o terceiro. Mas para um outro brasileiro essa segunda-feira, 11 de janeiro de 2016, será lembrada pela vida inteira.
Prêmio Puskas de gol mais bonito da temporada, Messi entre os finalistas. Só que no caminho do argentino havia um brasileiro acrobático: Wendell Lira. O atacante de 27 anos subiu ao palco do prêmio e abriu o coração.
No tapete vermelho, ganhou elogios de Neymar. Agora, só há um problema. O gol de Wendel não tem nome, vamos ajudar. “Falei que era meio Karatê Kid”, brinca Neymar.
Em Goiânia, também teve muita festa.

Quando saiu o resultado, parecia final de Copa do Mundo. Foi assim que a família de Wendell Lira acompanhou a premiação pela TV. No salão de festas do prédio onde a mãe, o padrasto e os dois irmãos moram em Goiânia.

“O sonho de todas as mães é ver seu filho feliz. Se o seu filho está infeliz, a mãe está infeliz. Então, hoje eu posso falar que eu estou feliz porque meu filho está feliz", disse Maria Edileusa Pereira, mãe do Wendell Lira.
A vida no futebol não foi fácil para este jovem de 27 anos. Quando saiu a indicação para o Prêmio Puskas no ano passado Wendell estava há quatro meses desempregado. Já teve que enfrentar uma lesão no joelho, que dificultaram a carreira no futebol.
Uma nova chance veio ao ser contratado pelo Goianésia para disputar o campeonato goiano. No dia 11 de março de 2015, no Serra Dourada, ele marcou o gol contra o Atlético-GO. Uma meia bicicleta, que deu uma guinada na vida do jogador.
A família agora quer uma festa completa. Mas com o homenageado presente. Por isso eles vão esperar o retorno do autor do gol mais bonito a Goiânia pra comemorar a conquista com amigos e parentes. Na última conversa com os irmãos, Wendell disse que embarca nesta terça de volta pra casa.
Depois do resultado, Wendell ficou incomunicável. Mas a família deixou uma mensagem pelo celular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário