quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Henrique Alves recebe da reitora da UFRN proposta de R$ 40 milhões para emendas parlamentares


O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, esteve reunido nesta terça-feira (25) com a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Cruz. Ela entregou uma proposta no valor de R$ 40 milhões para nove projetos da UFRN. Os recursos serão destinados à universidade no Orçamento Geral da União de 2015. Os detalhes ainda serão discutidos em reunião da reitora com a bancada federal do Rio Grande do Norte, quando serão definidas todas as emendas dos deputados e senadores para o estado.
A construção da segunda unidade do Instituto de Medicina Tropical, vinculada ao Hospital Giselda Trigueiro, é uma das prioridades da reitora Ângela Cruz. São R$ 8 milhões no orçamento deste ano para as obras físicas e outros R$ 2 milhões no orçamento de 2015 para aquisição dos equipamentos. A licitação para a obra está em fase de conclusão.
A reitora explicou que também necessita construir um edifício anexo para a Escola de Ciência e Tecnologia, atualmente com 1.120 alunos de cinco cursos de Engenharia. O prédio inicialmente foi projetado para 500 alunos. Outro projeto apresentado por Ângela Cruz é a ampliação das instalações do Departamento de Física Teórica e Experimental, além do Núcleo Integrado de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação Tecnológica.
A construção de um pavilhão administrativo do Centro de Ciências da Saúde também faz parte dos projetos da reitora para a UFRN, bem como o Complexo de Laboratórios Integrados de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia. A reitora também pleiteia um Centro de Convenções para a UFRN no orçamento de 2015.
A criação de 60 novas vagas para o curso de Medicina está condicionada a construção das novas instalações dedicadas ao ensino, à pesquisa e à pós-graduação em Farmácia. A antiga sede da faculdade de Farmácia daria lugar à ampliação do curso de Medicina, atualmente com 100 vagas.
Dos R$ 40 milhões pleiteados pela reitora, um quarto dos recursos (R$ 10 milhões) será usado no custeio do Instituto Internacional de Física e do Instituto do Cérebro. O trabalho desenvolvido pelas duas instituições é um dos principais responsáveis pela projeção da UFRN no exterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário