Páginas

sábado, 29 de abril de 2017

Cerca de 50 mil participam de Greve Geral no RN


O protesto intitulado Greve Geral cerca de 50 mil pessoas na tarde desta sexta-feira, 28, em Natal. O número foi divulgado pelos manifestantes, mas a Polícia Militar não confirmou.
Entre os manifestantes estavam servidores públicos, estudantes, sindicalistas e grupos da sociedade civil. Funcionários dos Correios foram ao protesto fardados. “É a perca de nossos direitos. Hoje Temer quer terceirizar nossa empresa. Isso tira postos de colegas nossos. Tira nossos empregos”, diz Esiedla Andrade, funcionária dos Correios, sobre a terceirização.
A Polícia Militar informou por meio da assessoria de comunicação que não irá divulgar estimativa e considerou o manifesto pacífico e tranquilo. “Estamos com nossas equipes nas ruas acompanhando e não houve nenhuma ocorrência grave, esperamos que siga assim até o fim”, afirmou o major Eduardo Franco.

Confira as principais imagens das manifestações em Natal nesta sexta-feira

A capital potiguar recebeu, nesta sexta-feira 28, uma grande movimentação em razão das manifestações nacionais contra as reformas da previdência e trabalhista que estão tramitando nas Casas Legislativas federais.
Segundo organizadores, cerca de 80 mil pessoas compareceram às ruas de Natal nesta tarde em protesto que teve concentração nas imediações do shopping Midway Mall, no Tirol. Para a Polícia, o número não passou dos 10 mil.
Confira abaixo as principais imagens das manifestações pelas lentes do fotógrafo José Aldenir (Agora Imagens):







Milhares de pessoas ocupam Centro de Mossoró em encerramento de manifestações contra reformas


Encerrou no início da noite desta sexta-feira a mobilização organizada por sindicatos e entidades representativas de Mossoró, com o intuito de protestar contra o andamento das reformas trabalhista e previdenciária que tramitam no Congresso Nacional.
Após um dia de manifestações encaminhadas em vários pontos da cidade, a programação encerrou com uma grande passeata pela principal via da cidade. Escolas ligadas à igreja católica e bancos não funcionaram.
Surpreendendo as expectativas dos organizadores, milhares de pessoas participaram da mobilização final, que teve início na igreja do Alto de São Manoel por volta das 15h30 e encerrou na Praça do Pax, no início da noite. Os organizadores estimam que cerca de cinco mil pessoas participaram da passeata. Na reta final era possível contabilizar cerca de 20 minutos de fluxo de manifestantes.
Nem mesmo a chuva que caiu no início da tarde impediu que a passeata fosse iniciada e ganhasse força no trajeto de cerca de dois quilômetros até o Centro da cidade.
Com faixas e cartazes pedindo a saída do presidente Michel Temer e a paralisação das reformas que estão em andamento no Congresso Nacional, sindicalistas, estudantes, representantes de entidades uniram forças para a realização de uma das maiores mobilizações públicas já realizadas na história de Mossoró.
“Todos estão vendo o sucesso da mobilização, mas as emissoras de TV devem mostrar que as mobilizações foram um fracasso. Cabe a cada um de nós mostrarmos nas redes sociais que o povo está indignado com o que estão fazendo com nossos direitos”, destacou a vereadora Isolda Dantas, que ocupava um dos carros de som que acompanhavam a mobilização.
A manifestação que estava prevista para encerrar na praça da Catedral de Santa Luzia, foi transposta para a Praça do Pax, devido a realização da missa de sétimo dia em homenagem ao empresário Milton Marques, realizada no fim da tarde desta sexta-feira.
A programação foi encerrada com discursos reforçando a necessidade de interrupção das reformas propostas pelo presidente Michel Temer.

Governo discute Central de monitoramento para Escolas Estaduais


As secretarias de Estado da Educação (SEEC) e de Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) discutiram na sexta-feira, 28, segurança das escolas estaduais potiguares. O encontro resultou em uma parceria para implantação de uma central de monitoramento das escolas localizadas nas áreas de vulnerabilidade.
“O investimento em segurança resultará em economia para a Educação, pois em cada furto que as escolas sofrem um gasto para recomposição desse material é gerado”, destacou a secretária de Educação, Cláudia Santa Rosa.
A titular a SEEC afirmou ainda que os casos de violência envolvendo as escolas estaduais vêm crescendo nos últimos anos. Além de Natal, em um primeiro momento, intenção é estender a ação às escolas de Mossoró.
“Sabemos que esse é um problema que só pode ser resolvido com a parceria dos setores de inteligência e ação da Segurança Pública. Para que essas medidas cheguem, precisamos criar um diálogo aberto entre a SEEC e a SESED”, disse.
A delegada e secretária estadual de Segurança, Sheila Freitas, propôs a instalação de câmeras de monitoramento para atender as escolas localizadas em áreas de risco e que tenham maior número de casos de arrombamentos.
“Podemos montar uma central específica para as escolas e assim termos, em tempo real, imagens das instituições de ensino”, declarou a delegada Sheila Freitas. Ela também destacou que essas imagens serão essenciais para investigações e flagrantes.
As equipes das duas secretarias voltarão a se reunir no próximo dia 03 para acertarem detalhes como a instalação dos equipamentos e pagamentos de diárias operacionais dos policiais que atuarão no monitoramento.

Guerra entre facções é maior causa de homicídios em 2017, diz novo titular da Degepol


Recém-nomeado para o comando geral da Polícia Civil, o delegado Correia Júnior já iniciou operações na Região Metropolitana de Natal, e no interior, em combate ao crime organizado. Em entrevista ao Agora RN, o delegado avalia que o crime organizado hoje é principalmente motivado pela guerra entre facções do Estado.
Com resultados das operações já sendo apresentados, em 3 dias registrando apenas um homicídio, o delegado ainda aponta que a corporação também está tentando dar uma prioridade ao lançamento do edital de concurso público, que visa contratar novos Policiais Civis. Confira a entrevista na íntegra:
Agora – Quais as providencias iniciais necessárias para o comando da Policia Civil?
Correia – A gente está correndo o mais rápido possível para conseguir o lançamento do edital do concurso público, que irá sair entre maio e junho, para 140 policiais civis, entre delegados, escrivães e agentes. Além disso, estamos realizando operações tanto em Natal como no interior, que iniciaram semana passada, e deveremos fazer mais na próxima semana. E vamos também, através de cursos do Governo Federal, junto à Secretaria de Segurança, intensificar nossos recursos de diária operacional e o trabalho na questão de drogas e crime organizado, além de aumentar a estrutura do DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Agora – Como avalia o tráfico de drogas no atual quadro de insegurança no Estado?
Correia – Sabemos que combatendo o tráfico de drogas certamente a gente vai diminuir muito a questão dos homicídios e o crime organizado, devido a essa guerra entre facções. Só pra se ter uma ideia, dentre as operações realizadas na semana passada, tanto pela Polícia Civil como pela Polícia Militar, a nossa DHPP em três dias registrou apenas um homicídio na região de Natal. Então com essas operações, não só o trabalho da PC mas também o trabalho da PM, intensificando políticas de operações em conjuntas, a gente consegue diminuir a questão dos homicídios.

Agora – Como a contratação de mais pessoas pode ajudar no combate à criminalidade? 
Correia – A contratação é uma coisa essencial. Nós trabalhamos hoje apenas com 1500 policiais civis, ou seja, 28% do nosso contingente legal, do que é permitido por lei. E esse concurso, que inicialmente é pra 140 pessoas, mas como o levantamento foi feito em 2015, e em virtude da previdência houve muitas aposentadorias nos últimos meses, certamente iremos chamar contratar mais independentemente desses. Durante validade desse concurso, que é de dois anos, e pode ser prorrogado para mais dois, talvez a gente consiga convocar cerca de 300 policiais a mais nesse período.

Agora – O que acha das estatísticas, que apontam mais de 700 mortes violentas já neste ano?
Correia – Primeiro que houve aquelas situações de janeiro pra cá, com relação as guerras entre as facções. Só em Alcaçuz foram 26. Então cerca de 70% dessas mortes que estão acontecendo são pessoas que respondem ou responderam à enquete policial de facções. Mas independente disso, estamos trabalhando para diminuir esse índice geral até o final do ano, frente a nova administração da Sesed [Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social].

Rogério Marinho afirma que Greve Geral é para manter privilégios


O deputado federal Rogério Marinho (PSDB/RN), relator da reforma trabalhista, afirmou que a Greve Geral realizada em todo o Brasil na sexta-feira, 28, era voltada para manter privilégios de sindicatos e corporações, revoltados com a proposta do fim da contribuição sindical obrigatória. Caso a proposta seja aprovada no Senado e sancionada, o trabalhador terá o direito de escolher se paga ou não a contribuição ao seu sindicato.
“O medo de perdas de privilégios de corporações é a alma do protesto. PT e esquerda brasileira são face atrasada da política com pauta corporativista do século XIX, defendem privilégios e corporações contra o povo”, disse o tucano.
Nas redes sociais e através de nota oficial encaminhada à imprensa, o deputado potiguar criticou os atos de violência durante as manifestações e os transtornos ao trânsito causados pelos protestos.
“Alguns fascistas travestidos de manifestantes atacam população. Não entendem que direito à greve é daqueles que dela querem participar, não é licença para impor e intimidar outros como milícias bolivarianas”, disse o parlamentar por meio de suas redes sociais.
Segundo Rogério, os brasileiros não podem permitir que “a realidade da Venezuela se transporte para o Brasil”.
“Cassetete pedagógico”
No Tweeter, Rogério Marinho compartilhou o vídeo de uma confusão ocorrida na sexta-feira no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. O deputado potiguar afirmou que seria necessário “usar cassetete pedagógico”.

A cada 4 horas, uma pessoa é assassinada no RN


A cada quatro horas, uma pessoa é assassinada no Rio Grande do Norte. A conclusão é uma média simples, a partir da distribuição dos 801 homicídios registrados nos primeiros 125 dias de 2017, segundo o Observatório da Violência Letal Intencional do RN (Obvio)
Os números são inéditos na história da segurança pública estadual. No mesmo período do ano passado, as mortes foram 613. A diferença, portanto, é de um aumento de 30,6%.
Para a secretaria estadual de Segurança Pública, os números refletem os resultados da atividade criminosa, já que 62% dessas mortes são de pessoas ligadas a atividades criminosas.
A região metropolitana de Natal agrega mais da metade dos casos, com 468 homicídios. Em números absolutos, Natal lidera com 220.

‘Xerife’ Maurílio Pinto cobra prisões seguras e combate mais vigoroso ao tráfico no RN


Reiterando as afirmações do recém-empossado delegado-geral da Polícia Civil, Correia Júnior, o ex-delegado e ex-subsecretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), “Xerife” Maurílio Pinto, aponta que de fato os altos índices de violência no Rio Grande do Norte deve-se a briga entre facções criminosas. Para combater isso, ele diz que se faz necessário um reforço nas prisões e um maior combate ao tráfico de drogas.
Para o Xerife, os altos números de violência em 2017 no RN são decorrentes da briga entre quadrilhas de crime organizado, que atuam principalmente no tráfico de drogas. “O que tem contribuído para o aumento da violência é exatamente as brigas entre os traficantes, que aumenta muito o número de homicídios”, afirma.
Segundo relatórios do Observatório da Violência Letal Intencional do RN (Obvio), o ano apresenta índices de quase 800 casos de homicídios, somente nesses quatro primeiros meses. O número é maior que 30% do registrado, no mesmo período, em 2016.
Em declarações à reportagem do Agora, o delegado-geral Correia Júnior diz está comandado operações com fins de combater as causas desses homicídios, que segundo ele a Polícia Civil avaliou ao menos 70% dos casos ligados ao crime organizado. O “Xerife” Maurilio Pinto também concordou com o posicionamento do delegado e aponta que essas operações devem ocorrer com mais vigor.
“Em primeiro lugar manter as prisões mais seguras, e também o combate que já está sendo feito, mas com mais vigor, ao tráfico de drogas”, diz Maurilio.
Além disso, ele também destaca a necessidade de contratação de mais policiais, pois essas operações contra o crime organizado são mais dificultadas com o pequeno número de efetivos. “É muito deficiente o efetivo, eles estão ‘se virando nos 30’, como se diz”.
Atualmente aposentado, Maurílio Pinto ainda continua sendo um ícone da segurança pública no Estado. O ex-delegado recebe visitas, pedidos de ajuda para solucionar casos, e pedidos de conselhos por oficiais.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Ministro da Justiça determina que PF investigue Baleia-Azul

A Polícia Federal (PF) vai investigar o jogo virtual Baleia-Azul, que incentiva o suicídio e a automutilação, após determinação do ministro da Justiça, Osmar Serraglio. O jogo, composto por 50 tarefas que culminam no suicídio, já é alvo de investigações policiais em pelo menos oito Estados do Brasil.

“Estrela do Crime” é assassinada com vários tiros na Praia do Meio e amigos prometem vingança


Uma jovem, identificada como Maria Luiza Medeiros, 25 anos, foi morta com vários disparos de arma de fogo, no início da noite deste domingo, na avenida Presidente Café Filho, na Praia do Meio, zona Leste de Natal.
Segundo a polícia, ela seria mais conhecida como ‘Malu Bonekynka’. No Facebook, a vítima se autointitula como a “Estrela do Crime”. Na página dela, vários amigos se despedem e um deles promete vingança em mensagem (excluída minutos depois). Malu publicou a seguinte frase: “A vida e loka e nela eu to de passagem? boa noitee aii pros afavor”
‘Malu Bonekynha’ teria sido assassinada por desafetos em via pública, na frente de taxistas e transeuntes, quando saía de um bar próximo. Ela ainda seria responsável por vários assaltos na região. No Facebook, a jovem publicou que estuda na ‘Faculdade do Crime.’
Uma das amigas dela publicou a seguinte mensagem no Facebook: “Oow My galega vc ligou me chamando pra ir logo cedo eu disse q não ia q tava no susego disse q ficasse em casa meu Amr mas vc foi My galega meu deus só deus sabe a dor q ta aq dentro oow My galeguinha te dei tanto conselho vc não me escutou foi pela cabeça dos outro que queria seu mal oow My linda prq mim deixo não tou acreditando My galega do crime vai ta no meu coração PCR sempre”.
No local, agentes da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e peritos do ITEP concluem os trabalhos para remover o corpo. A área está isolada e há muitos curiosos querendo saber mais detalhes. O caso será investigado pela Polícia Civil.